Decotelli afirma que Bolsonaro questionou currículo e negou plágio

Publicado segunda-feira, 29 de junho de 2020 às 20:22 h | Atualizado em 29/06/2020, 20:23 | Autor: Da Redação

O ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, afirmou nesta segunda-feira, 29, que se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro, que fez questionamentos sobre o currículo dele. De acordo com informações do G1, o ministro confirmou que continua no cargo e negou que tenha cometido plágio na dissertação do mestrado.

Anunciado na semana passada, Decotelli foi alvo de três polêmicas: denúncia de plágio na dissertação de mestrado da Fundação Getúlio Vargas (FGV); declaração de título de doutorado que não foi obtido; e pós-doutorado não realizado na Alemanha.

"Ele [Bolsonaro] queria saber detalhes sobre a minha vida de 50 anos como professor em todas as entidades do Brasil. Então, ele pegou a estrutura de detalhes, a estrutura de trabalhos no Brasil, Norte, Sul, Leste, Oeste, 40 anos de trabalho na Fundação Getúlio Vargas, Fundação Dom Cabral, IBMEC. [...] Então, ele queria saber esse lastro de vida como professor", declarou Decotelli .

"Ele [Bolsonaro] perguntou: 'Como é essa questão de detalhe acadêmico e doutorado, pós-doutorado, pesquisa de mestrado? Como é essa estrutura de inconsistência?'. Ele queria saber o que é isso, então, eu expliquei a ele", acrescentou.

Publicações relacionadas