Júnior Borges e Geraldo Júnior pedem apoio de presidente do Senado para manter o Reiq

Publicado quarta-feira, 16 de junho de 2021 às 13:11 h | Atualizado em 16/06/2021, 13:17 | Autor: Da Redação

O presidente da Câmara de Camaçari, Júnior Borges (DEM), e o chefe do Legislativo de Salvador, Geraldo Júnior (MDB), se reuniram na manhã desta quarta-feira, 16, em Brasília, com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM), para pedir apoio contra a revogação do Regime Especial da Indústria Química (Reiq). O encontro contou também com a presença do presidente nacional do Democratas, ACM Neto

O Reiq é um instrumento criado pela Lei nº12.859/13, com o objetivo de garantir maior competitividade ao setor químico brasileiro por meio da desoneração das alíquotas de PIS/Cofins incidentes sobre a compra de matérias-primas básicas petroquímicas da primeira e da segunda geração. Entretanto, a Medida Provisória 1.034/2021, do Governo Federal, propõe a extinção do Reiq.

Rodrigo Pacheco se mostrou disposto a dialogar com os senadores e defender a manutenção dos benefícios garantidos pelo Reiq, criado em 2013 com o intuito de fortalecer o setor químico no país e o tornar mais competitivo no cenário mundial.

Júnior Borges destacou que "a luta contra a revogação do Reiq significa manter a indústria química do país forte, garantindo assim a manutenção de muitos empregos não só em Camaçari e em todo estado da Bahia, como no país de forma geral. Será um grande prejuízo para o setor e para a gente só de empregos a perda desses benefícios", disse o vereador.

A Medida Provisória 1.034 já foi analisada pela Câmara dos Deputados e está sendo apreciada pelo Senado e tem o senador Ciro Nogueira (PP) como relator. A previsão é que o Senado coloque a MP em votação nesta quinta-feira, 17.

Publicações relacionadas