Mandetta faz aceno para Moro em 2022 mas mantém nome à disposição

Publicado quinta-feira, 02 de dezembro de 2021 às 10:08 h | Atualizado em 02/12/2021, 14:14 | Autor: Rodrigo Aguiar e Fernando Valverde

Presente no evento que marca a candidatura do presidente nacional, ACM Neto, do seu partido ao Governo da Bahia, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM/UB) voltou a afirmar que as discussões internas da legenda sobre uma possível candidatura ao Planalto em torno de seu nome continuam acontecendo.

De acordo com o ex-ministro, e rebatendo o que havia sido dito pelo futuro presidente do União Brasil (sigla resultante da fusão entre o DEM e o PSL), Luciano Bivar (PSL/UB), seu nome continua à disposição e o momento é de discutir os rumos do Brasil.

"Eu sou uma pessoa ligada a partido. Sou do Democratas, único partido que tive na minha vida, e o que a gente fez esse ano foi ampliar a discussão. Agora o momento é de união. É o momento de ajudar o Brasil a sair dessa situação política tão crítica que ele se meteu. Teremos essa discussão ao longo dos meses e pode ter certeza que tomaremos a melhor decisão para o país", apontou.

Mandetta fez ainda um aceno para o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro (Podemos), a quem chamou de "amigo", e que, de acordo com especulações, pode ser o nome apoiado pelo União Brasil nas eleições de 2022.

"Moro é um amigo, um cara que converso sempre e mostra capacidade de andar. Vejo com muita simpatia a candidatura dele", afirmou.

Caso o UB apoie o partido de Moro, Mandetta pode ser candidato ao Senado pelo Mato Grosso do Sul.

Publicações relacionadas