Prefeito e vereadores eleitos de Salvador tomam posse na Câmara Municipal

Publicado sexta-feira, 01 de janeiro de 2021 às 20:47 h | Atualizado em 01/01/2021, 22:53 | Autor: Cassio Santana e Raul Aguilar

Tomou posse na tarde de ontem o novo prefeito de Salvador, o advogado pernambucano Bruno Soares Reis (Dem), 43 anos, candidato indicado à sucessão pelo agora ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (Dem). Bruno Reis foi eleito com 64,20% dos votos válidos. 

Reis começou a carreira no movimento estudantil, foi assessor parlamentar e deputado estadual, em 2016, assumiu a vaga de vice-prefeito de Salvador no lugar de Célia Sacramento, cargo que acumulou com a secretária de infraestrutura do município desde 2019.  

Além  do prefeito da vice, 43 vereadores assumiram o cargo na Câmara Municipal de Salvador (CMS) para a legislatura 2021-2024 nesta sexta-feira, 01. A Casa tem 17 novos vereadores. A maior bancada da Câmara será do DEM, com 7 parlamentares. 

Em seu discurso de posse, na Câmara Municipal de Salvador (CMS), o novo chefe do executivo de Salvador se emocionou ao lembrar de sua família e de sua trajetória na vida pública. Ele perdeu os pais ainda criança, sendo criado por sua avó materna, D.Alita Ribeiro, que morreu no dia 14 de dezembro. Com lágrimas nos olhos após lembrar de seus pais e avó, Reis tirou o primeiro contra-cheque que recebeu quando era estagiário da Câmara Municipal de Salvador. 

“Há 22 anos eu subi as escadas desta casa pela primeira vez. Era um menino, cheio de inseguranças mas também cheio de sonhos. Tudo começou como estagiário aqui da Câmara Municipal, tão orgulhoso que guardo até hoje o meu primeiro contracheque. Setembro de 1998. Me lembro da alegria que senti quando recebi esse contracheque”, lembrou o prefeito de Salvador. Em Lágrimas, Reis continuou:  “Hoje, mais uma vez nessa casa, que me acolheu, que tanto me ensinou, eu vivo uma das maiores emoções da minha vida. Aquele menino que ficava ali nas galerias, entrava no plenário e olhava para essa tribuna e me perguntava: será que um dia eu chego lá?. Quem diria, heim Seu João, Dona Márcia? Seu menino chegou aqui. Eu queria muito poder ouvir de vocês hoje: “Que orgulho, meu filho”. Mas sei que vocês estão aqui, do meu lado, como sempre estiveram”. 

O presidente da CMS, o vereador e presidente do MDB Salvador, Geraldo Júnior (MDB), prometeu continuar “estreitando os laços” da população com a CMS. O emedebista, candidato à reeleição no pleito que ocorre hoje, prometeu manter uma relação de harmonia e independência com o novo prefeito de Salvador. 

“Vou manter a mesma postura, o mesmo diálogo, vou manter o mesmo tipo de relação, de transparência; relação de olho no olho. Aquilo que a gente entender o que é bom para a cidade, vamos trazer para discutir aqui. A relação com o governo municipal vai ser muito amistosa, uma relação de independência e autonomia de poderes. E eu tenho certeza que o prefeito Bruno Reis  e a vice-prefeita Ana Paula vão dar a mesma respeitabilidade que o (ex) prefeito ACM Neto”, pontuou Geraldo Júnior. 

Após deixar o cargo de prefeito de Salvador, ACM Neto (Dem) se volta agora para função de presidente nacional do Democratas, função que exercia de forma cumulativa, e nas articulações para viabilizar uma candidatura ao governo do estado em 2022. Para isso, Neto irá criar um escritório político e fará uma cruzada pelo interior do estado, prestando consultoria, costurando apoios e participando de entregas via emendas parlamentares do grupo político que comanda na Bahia. 

ACM Neto já sinalizou que sua gestão na prefeitura de Salvador será a grande vitrine na disputa pelo controle do governo do estado. O democrata deixa a função com mais de 70% de aprovação segundo várias pesquisas, a exemplo da realizada pelo grupo A Tarde em parceria com o instituto Potencial Pesquisas. 

Novos secretários

Na ocasião, os novos secretários da gestão do prefeito Bruno Reis foram empossados. Serão 23 secretarias e 13 autarquias que irão compor o governo municipal. 

O novo secretário de educação é o ex-prefeito de Mata de São João, Marcelo Oliveira. Ele reforçou que a prioridade da pasta é o retorno das aulas nas escolas do município com medidas de segurança contra o novo coronavírus. 

“Eu fui convidado para ser o secretário de educação com um imenso desafio: fazer melhorar o desempenho dos alunos da rede municipal de ensino. Essa melhora do ensino passa, necessariamente, pela volta das aulas; não é possível pensar em melhoria com os alunos em casa, é preciso retomar as aulas o mais rápido possível. Esse é nosso primeiro desafio. Encontrar os mecanismos para o retorno com toda a segurança, sem expor as crianças nem professores, nossa prioridade absoluta é encontrar esses mecanismos para que retomemos as aulas com brevidade.”,  reforçou Oliveira. 

O novo ouvidor da Prefeitura Municipal de Salvador, Jean Sacramento, destacou que o foco inicial da pasta será, além da amplificação do atendimento e os canais de comunicação à disposição da prefeitura, a implantação de um processo integrado de comunicação dos serviços disponíveis à população no período da pandemia do novo coronavírus. Ele pretende levar a ouvidoria às comunidades e criar núcleos de referência nos bairros populares para atender os soteropolitanos que não contam com recursos tecnológicos para entrar em contato com a Ouvidoria.  

“A ouvidoria é hoje um canal de receber reclamações e tirar dúvidas, dando resoluções aos problemas dos soteropolitanos que buscam a prefeitura; e o que queremos, além disso, é transformá-la em um canal constante de comunicação ativa com a sociedade. Buscando informar via site, redes sociais, aplicativos de mensagem e de forma presencial os serviços ofertados aos soteropolitanos.Ela também servirá para esclarecer sobre os serviços públicos disponíveis, como acessá-los e de que forma o cidadão pode fiscalizá-los, auxiliando assim a gestão no aprimoramento dos serviços prestados”, ressaltou Sacramento.    

O secretário de Infraestrutura, o vereador licenciado Luiz Carlos (Republicanos), reforçou que além da implantação do BRT, um dos desafios da pasta será trabalhar na execução de programas de habitação da pasta, a exemplo do Morar Melhor e a Casa Legal.

“Programa Morar Melhor, temos a expectativa de chegar a 50 mil casas nos próximos 4 anos, fazendo quase o dobro do que foi feito até agora, 30 mil casas. Eu considero um programa de impacto social muito grande porque trata de dar dignidade às pessoas da cidade.”, destacou Luiz Carlos.

Publicações relacionadas