Greve dos comerciários é inviável, afirma presidente do Sindilojas

Publicado quinta-feira, 21 de novembro de 2019 às 08:03 h | Atualizado em 21/11/2019, 08:34 | Autor: Jaqueline Suzarte

Apesar da falta de acordo entre lojistas e comerciários de Salvador, sobre o reajuste salarial desde março de 2018, uma eventual paralisação durante as festas de fim de ano - como tem sido especulado - não é vista como possibilidade real. Em conversa com o Portal A TARDE, na manhã desta quinta-feira, 21, o presidente do Sindicato dos Lojistas (Sindilojas), Paulo Motta, disse não haver condição de mobilização neste sentido.

"Não vejo nenhuma condição de haver mobilização de greve dos comerciários. É um período importante para o próprio comerciário, assim não vai haver adesão. É uma época que os comerciários possui melhor condição de aumentar sua renda. Não vejo o momento para êxito em movimento varejista, tendo em vista que o próprio comerciário ficaria prejudicado, pois são, principalmente, comissionados e os meses de novembro e dezembro são os mais importantes para o comércio", ressaltou.

Questionado se a possibilidade de greve é inviável, Paulo diz entender que este é o momento de recuperar as perdas financeiras que os lojistas tiveram este ano: "O momento é de todos se unirem para recuperar o difícil ano de 2019".

Reajuste

Sobre a proposta de reajuste, o sindicalista conta que ainda haverá nova audiência para definir o aumento salarial. "A proposta do Sindilojas-Ba é reajuste de até 10% sobre os salários pagos em março de 2018, com vigência a partir de novembro de 2019. Está prevista uma audiência pública para o dia 28 de novembro no Ministério Público do Trabalho", pontuou.

Publicações relacionadas