adblock ativo

I love you, capoeira!

Publicado domingo, 26 de fevereiro de 2006 às 00:00 h | Atualizado em 26/02/2006, 00:00 | Autor: JORNAL A TARDE
adblock ativo

Roda de capoeira formada do Largo do Pelô chama a atenção pela quantidade de gringos



Apolo Sem




Ao som do berimbau, nosso velho conhecido, o gingado era igual. Aliás, as diferenças propriamente ditas só eram notadas a partir dos cânticos:



- Paãnauêêê! Paãnauê, paãná!



Mais:



- Eu pijei na folha xêca vi fagê chuê, chuá.



Ou então:



- Avija meu mano, avija meu mano, capuela mandou me chamar.



Traduzindo: “Paranaê! Paranaé, paraná”; “Eu pisei na folha sêca ouvi fazer chuê, chuá”; e “Avisa meu mano, avisa meu mano, capueira mandou me chamar”.



A gringada se solta. Em algumas músicas, acerto total:



- Tem dendê, tem dendê, a Bahia tem dendê!



Asako Sano, 23 anos, arquiteta, japonesa da cidade de Fukuoka, não fala uma palavra de português. Tem sete meses que conheceu a capoeira, lá mesmo no Japão, através do filme “Only the strong”. Ontem, amanheceu na avenida jogando capoeira. “Essa energia, essa coisa toda, é completamente diferente de qualquer lugar do mundo”, exatasiava-se ela.



Nayla Baghdadi, francesa, 27 anos, há 15 morando na Califórnia, já arranha bem o português. Todo ano vem à Bahia visitar o mestre Boa Gente, o soberano do ramo no Vale das Pedrinhas. “Ele é muito conhecido lá (nos EUA)”, justificava-se ela.



Puxando o fio do novelo a gringada era interminável. Asako, Nayla, Ellen, Jamie, Williams, Stephanes, mais de 300, vindos da Austrália, Japão, EUA, Inglaterra, Filipinas, todas as partes do planeta.



- Gente, pelo gingado parece que é gente daqui!



O espanto era de Jéssica Meira Dias, 29 anos, moradora do Pau Miúdo, admirada ao saber que a roda de capoeira formada do Largo do Pelô na noite de anteontem era 90% de gringos. Estavam no Bloco da Capoeira, anfitrionados por Tonho Matéria, que também é mestre de capoeira, e Mestre Boa Gente, seguindo o rastro do Olodum.

  

OLODUM - Tonho e Boa Gente na maior preocupação. Queriam evitar que os visitantes vissem ou sentissem qualquer sinal da banda podre do Carnaval, como assaltos, brigas e coisas tais. Às duas da madrugada de ontem, na Rua Chile, perto da Praça Castro Alves, alerta geral: inconformados com a demora do Olodum em sair (a programação era 21 horas), algumas pessoas (baianas, claro) começaram a jogar latas de cerveja no trio elétrico.



A gringada não entendia. São jovens, a maioria de estudantes, bem situados financeiramente. Tanto que alguns vieram com segurança particular. Outros recebiam freqüentes ligações dos pais.



- Qu’est ce que se passe?



“O que está acontecendo?”, perguntava uma francesa.



- I want to go away!



“Quero ir embora!”, em português, ou “Quero me picar!”, em baianês, gritava um norte-americano.



Boa Gente pegou o berimbau:



- Abre a roda, abre a roda!



Santo remédio. Ainda bem que eles não perceberam que as latinhas de cerveja atiradas contra o trio estavam cheias, mas de mijo.



Enfim, o Olodum rufou os tambores. Paz geral. No circuito do Campo Grande, es esbaldaram até as seis da manhã de ontem.

  

AXÉ EXPORTS - A história dos gringos capoeiristas é singular exemplo de exportação da cultura afro-brasileira. Não foram eles que vieram aqui e viram, é o inverso. A capoeira foi até eles em cada ponto do planeta em que moram e os seduziu.



Lá por volta de 1989 os mestres Amém Santo, da Liberdade, e Nêgo Gato, da Massaranduba, integrando o grupo Viva Bahia, foram a Nova Iorque participar do Festival Brasileiro de Música e Dança, ao lado de Zezé Mota, Martinho da Vila e Beth Carvalho.



Gostaram e ficaram por lá. Não sabiam falar uma palavra de inglês. Começou o sufoco, como conta Mestre Amém.



- Comemos bife com brocólis dois meses inteiros. Ouvimos alguém pedir “beef brocólis”, aprendemos.



Nem por isso eles se intimidaram. Nego Santo ficou em Nova Iorque e Amém decidiu ser ator. Arrumou as malas e foi tentar Hollywood, na Califórnia. Bateu à porta do Sound Of The Word, um daqueles muitos estúdios que existem em Los Angeles testando diariamente candidatos a ator. Foi o primeiro de mais de 100 “nãos” que recebeu.



- Eu mal soletrava o inglês. Foram educados, disseram que me admiravam muito pela coragem. E me mandaram embora.



Ele recebia “não” e insistia, recebia “não” e insistia, lá um dia tchan-tchan-tchan-tchan!... Janet Jackson, irmã de Michael Jackson, aceitou colocá-lo no vídeo “Escapade”.

 

XANANA - Foi o pulo do gato para integrar o filme “Only the strong”, cuja tradução é “Somente o forte”, mas no Brasil ganhou o apelativo título de “Esporte sangrento”, estrelado por Mark Dacascos. É o único trabalho cinematográfico tendo como eixo principal a capoeira feito sobre capoeira até hoje.



A história começa (e termina) com Amém, no papel de professor de capoeira do astro principal, junto com um grupo cantando “Paranaê”. Estava ensinando Mark a jogar capoeira.



O filme rodou mundo e com ele a capoeira. Foi desta forma que a japonesa Asako foi seduzida pela arte, sete meses atrás. Belo dia Amém estava num hotel em Cingapura. Alguem o procurou:



- O Sr. podia nos dar uma aula de Paranaê?



A capoeira tinha virado “Paranaê”. Os gringos sabiam os movimentos e nada mais. Amém, 40 anos, e Nego Santo, 44, hoje bem instalado no Harley, o bairro negro de Nova Iorque, são as maiores referências da cultura afro-brasileira nos EUA. Os dois estão em Salvador acompanhando seus alunos internacionais.



No rastro deles está o contra-mestre Ney Boa Morte, 29 anos, filho da Liberdade, embaixador itinerante da capoeira. Recentemente foi dar aulas na Austrália (Sidney, Camberra e Adelaide). Em agosto recebeu convite oficial de Xanana Gusmão, o presidente do Timor Leste. Voltou impressionado. Lá, o povo tem cultura de guerra, o sofrimento das lutas contra o colonialismo e a da independência. Ele explicou a Xanana que capoeira é outra coisa, é arte. O presidente adorou.



- A casa de Xanana (em Dili, capital), tem quadras de esporte que o povo pode usar à vontade. Não tem um segurança sequer.



Que maravilha. Até parece Carnaval em Salvador...

adblock ativo

Publicações relacionadas