Postos municipais vacinam pets na capital baiana

Ao todo, são 120 locais com o imunizante ofertado gratuitamente

Publicado sábado, 09 de julho de 2022 às 05:00 h | Atualizado em 08/07/2022, 21:50 | Autor: Iamany Santos*
Campanha é da Secretaria Municipal da Saúde de Salvador, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ)
Campanha é da Secretaria Municipal da Saúde de Salvador, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) -

A raiva é uma das zoonoses que possuem quase 100% de letalidade no homem, por isso o controle dessa doença é importantíssimo. Apesar de estar controlada na Bahia, quatro casos recentes de raiva em humanos em Minas Gerais e um em Brasília reacenderam o alerta. 

Diante disso, o Centro de Controle Zoonoses (CCZ) está reforçando a vacinação com a antirrábica em 120 postos de saúde de Salvador. Os tutores podem levar seus animais para vacinar em uma das unidades de saúde todos os dias da semana, das 8h às 14h.

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais confirmou em junho que a morte de uma criança de 4 anos em Bertópolis, no Vale do Mucuri, foi causada pelo vírus da raiva humana. Esse foi o quarto caso registrado no estado em 2022, e por ser fronteiriço com a Bahia, a situação chamou a atenção das autoridades locais. 

“Diante de alguns casos de raiva humana que aconteceram no Brasil, como  esse em Minas Gerais e um mais recente no Distrito Federal, estamos querendo dar um estoque maior [de vacinas] para que a população traga seus animais para atualizar o cartão de vacinação”, afirma Danielle Lima, chefe do setor de Vigilância e Controle da Raiva Animal do CCZ.

Em Salvador, o último caso de raiva humana foi em 2004 e a doença está controlada na cidade, graças à vacinação. A cidade possui uma cobertura vacinal de aproximadamente 60% e cerca de 200 mil animais são vacinados anualmente na cidade. 

Apesar do cenário positivo, Danielle relembra que a vacina da raiva é anual e por isso o CCZ está realizando essa intensificação da vacinação dos pets. “Estamos intensificando os estoques e para vacinar os seus animais as pessoas devem se dirigir até um dos 120 postos de saúde onde está sendo feita a vacinação”, pontua. 

O objetivo desse movimento de reforçar a vacinação é, além de manter os casos de raiva humana zerados, ajudar quem tem mais de dez animais a realizar a atualização do cartão de vacinação dos seus bichinhos. A lista com as unidades de saúde onde está havendo a vacinação pode ser encontrada no site da Secretaria Municipal de Saúde (www.saude.salvador.ba.gov.br). 

O vírus

A raiva é uma zoonose - doença transmitida dos animais ao homem ou vice e versa - causada por um vírus mortal e, dentre as 200 zoonoses conhecidas, é a mais perigosa para a raça humana. O vírus pode ser transmitido para os humanos através de uma mordida, lambidas e arranhões de animais infectados. 

O controle dessa doença está diretamente ligado à vacinação dos animais, por isso é importante imunizar os pets contra a doença. “Ela é totalmente prevenível através da imunização dos animais domésticos e, no caso de uma pessoa que foi exposta ao vírus, tomar a vacina em uma unidade de saúde diminui muito a chance de desenvolver a doença”, enfatiza Danielle. 

A conscientização para a importância da vacinação é uma forma de manter não só o seu animal de estimação protegido, mas também proteger toda a sociedade. “Ao vacinar você impede a circulação viral e evita a possibilidade do vírus chegar aos seres humanos. Por isso é importante manter atualizado o cartão de vacinação do seu gato ou cachorro”, finaliza Danielle.

Campanha Nacional

A tradicional campanha nacional para vacinação antirrábica com a montagem de tendas e pontos drive-thru está planejada para começar no dia 8 de agosto, segundo Danielle. “A campanha é organizada e planejada a nível nacional pelo Ministério da Saúde, e aqui no município de Salvador  está prevista para acontecer entre os meses de agosto e setembro”.

Segundo Danielle, além dos 120 postos onde normalmente já acontece a vacinação, serão montados pontos móveis, itinerantes e pontos Drive-Thru, que foram muito bem aceitos durante a pandemia. 

*Sob a supervisão do editor Rafael Tiago Nunes

Publicações relacionadas