adblock ativo

Reabertura da Rússia à carne de SC deve melhorar preço

Publicado sábado, 24 de novembro de 2007 às 11:19 h | Atualizado em 24/11/2007, 11:19 | Autor: Agencia Estado
adblock ativo

A reabertura do mercado russo para as carnes bovina e suína de Santa Catarina deve melhorar os preços aos criadores, avaliou o diretor de defesa agropecuária da Secretaria da Agricultura, Roni Barbosa. Apesar da valorização dos insumos nos últimos dois anos, a cotação do suíno é menor atualmente do que na época em que começou o embargo, comparou. O produtor recebe cerca de R$ 2,20 por quilo do animal vivo, enquanto a cotação estava em R$ 2,50 em dezembro de 2005.

Barbosa disse que o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, telefonou para o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique Silveira (PMDB), para confirmar o fim do embargo. O setor, no entanto, ainda espera os detalhes técnicos da medida, que deve provocar efeito mais relevante a partir de janeiro. No final do ano, o rigoroso inverno russo dificulta a operação de navios.

Para Barbosa, a certificação de Santa Catarina como área livre de aftosa sem vacinação, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), pesou na reabertura do comércio. O Estado realizou diversas visitas à Rússia na tentativa de reverter o embargo. Outro aspecto que provavelmente colaborou na decisão foi o fim das barreiras internas no Brasil, depois que o Ministério da Agricultura devolveu os status de Mato Grosso do Sul e Paraná, avaliou Barbosa.

Até dezembro de 2005, Santa Catarina exportava em média 17 mil toneladas de carne suína para a Rússia. A venda gerava aproximadamente US$ 34 milhões mensais, recordou Barbosa. O rebanho suíno soma 5 milhões de animais.

adblock ativo

Publicações relacionadas