adblock ativo

Com vendas em alta , SUVs são estrelas do mercado de seminovos

Publicado quarta-feira, 16 de junho de 2021 às 06:01 h | Atualizado em 15/06/2021, 21:08 | Autor: Lucia Camargo Nunes, de São Paulo
Renault Duster é um dos SUV mais procurados
Renault Duster é um dos SUV mais procurados -
adblock ativo

Depois de um mês de abril fraco, com muitas lojas fechadas por causa dos decretos da pandemia, o segmento de carros seminovos e usados registrou boa recuperação em maio no país, com aumento de 18,5% nas vendas no país sobre o mês anterior (1.325.336 unidades). Os dados são da Fenauto, federação que reúne cerca de 48 mil revendedores do país.

“Como as vendas de veículos novos estão limitadas à capacidade de produção das montadoras, que ainda enfrentam problemas, o mercado de usados continua aquecido, tanto nas transações em que esses veículos são oferecidos na troca por um zero km, quanto nas negociações entre usados”, explica Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave.

No Nordeste, exceto por Paraíba e Sergipe, que tiveram queda nas vendas, muito em função dos fechamentos em abril, e Pernambuco, que cresceu apenas 2,7%, o mês de maio foi positivo, e a Bahia teve alta de 4%. Pode parecer pouco, mas este é o estado com maior volume de vendas: 41.536 unidades. Depois da Bahia, Pernambuco comercializou 38.206 unidades e Ceará, 36.452.

Outro dado positivo é o acumulado do ano: em relação ao montante vendido entre janeiro e maio de 2020, houve avanço de 60,8% na Bahia, com 201.492 veículos seminovos e usados licenciados neste ano.

Os modelos chamados de usados jovens (4 a 8 anos) continuam aquecidos, com um total de 76.686 de janeiro a maio, enquanto os usados maduros (9 a 12 anos) venderam 49.913 unidades, os seminovos (até 3 anos) 35.533, e os velhinhos (mais de 13 anos) emplacaram 39.360 unidades.

Baixa nos estoques

Enquanto os seminovos e jovens usados mantêm a baixa oferta, muitos proprietários escalam os preços aproveitando o momento. “A falta de carros continua, temos a mesma dificuldade de meses atrás. Os clientes que querem só vender o veículo (e não trocar) estão pedindo valores acima da média. Além disso, cliente que busca por um modelo específico está disposto a esperar mais um pouco. Sinto que estão mais exigentes”, avalia Jaldemio Pereira de Souza Severino, o Jal, da Car Store, do AutoShopping Rodrigues.

Anderson Francelo, da Francelo Veículos, no AutoShopping Itapoan, também reclama que está “difícil comprar carro bom”, e quando consegue, vende rápido. Carlos Cordeiro Tanajura Neto, dono da loja RC Multimarcas no Auto Shopping Rodrigues, afirma que antigamente trabalhava com carros um pouquinho mais antigos. Ele mudou o perfil da loja e, agora, foca mais nos modelos acima de 2017. “Percebemos que tem muito cliente procurando um carrinho mais novo, mas na faixa de R$ 40 mil está complicado de achar. Também é difícil manter o estoque cheio.”

Mudanças

Assim como acontece no mercado de novos, o consumidor mira os utilitários esportivos: mais altos, confortáveis, repletos de equipamentos e robustos. Hoje, com o aumento de preço dos seminovos, os carros de entrada mais novos estão ficando na faixa de preço de SUVs com ano anterior, então o consumidor está preferindo comprar carros melhores, segundo João Martins, da Albatroz Seminovos, no AutoShopping Rodrigues.

“Por exemplo, um Onix LT 1.0 2018 está saindo em torno de R$ 47 mil. Com um investimento um pouco maior, o consumidor consegue comprar carros melhores e mais completos, embora um pouco mais antigos, de 2015, por exemplo. Na maioria das vezes, o consumidor está buscando carros com mais tecnologia embarcada e notamos a maior procura por SUVs e crossovers”, conta Martins.

Na Salvador Automóveis, do AutoShopping Itapoan, Fabrício Oliveira Bahia diz que carros populares abaixo de R$ 50 mil, como Chevrolet Onix e Prisma, Toyota Etios e Hyundai HB20 têm boa saída. Os SUVs também vão bem e Bahia destaca Jeep Renegade, Honda HR-V e Hyundai Creta, “na faixa de R$ 65 mil a R$ 90 mil”.

Martins, da Albatroz Seminovos, diz que na sua loja o Renault Duster é campeão de vendas, porque o SUV tem ótimo custo-benefício. No mercado, esse SUV, a partir de 2017, varia de R$ 50 mil a R$ 90 mil.

Mais valorizados

A startup paulista InstaCarro, que possui uma plataforma que faz a intermediação da venda de veículos, listou dez modelos mais valorizados no ambiente dos seminovos, usando como referência de preços a tabela Fipe, embora nem sempre seja fidedigna ao valor real do veículo. Estado geral, quilometragem e documentação em dia são quesitos que valorizam um veículo na hora da revenda.

Encabeçando o ranking dos mais “valorizados”, está o Volkswagen T-Cross 2020, com preço de até 33% acima do indicado pelo mercado para algumas versões. A plataforma atribui esse incremento ao seminovo por combinar tecnologia, conforto, economia de combustível e estar em uma categoria ascendente no mercado, a de SUVs.

Outro modelo com preço acima da tabela, de acordo com a InstaCarro é o Fiat Fiorino (2005), negociado por até 13,34% acima do valor estimado pela Fipe, em função do aumento de procura por veículos para transporte de pequenas cargas, como o delivery.

Na sequência, a startup contatou valorização de 8,69% para o Hyundai Creta (2018), também se posiciona como grande concorrente no mercado de SUVs, um dos mais procurados pelos brasileiros.

“A tabela Fipe é um indicador, mas sua finalidade é mais para cotação de impostos e tributos do que para mensurar a negociação de um veículo. Nem sempre ela vai trazer o valor adequado para determinado modelo. A melhor alternativa é contar com ferramentas que auxiliam nesse sentido, possibilitando encontrar as melhores oportunidades para todos”, explica Luca Cafici, CEO da InstaCarro.

adblock ativo

Publicações relacionadas