adblock ativo

Piano de John Lennon integra exposição antiguerra

Publicado domingo, 10 de dezembro de 2006 às 14:06 h | Atualizado em 10/12/2006, 14:06 | Autor: EFE
adblock ativo

O piano no qual o falecido John Lennon compôs o célebre hino antiguerra "Imagine" em 1971 é a atração principal de uma exposição de fotos em Dallas que destaca os danos que as guerras causam às pessoas e aos lugares.



O instrumento bege e simples está sendo exposto na Galeria Goss, em Dallas. Seu proprietário, Kenny Goss, é parceiro de longa data do popstar britânico George Michael, que comprou o piano em 2000 num leilão, por 1,45 milhão de libras esterlinas.



As fotos trazem o trabalho de três fotógrafos que trabalharam em diversas zonas de guerra: o britânico Don McCullin, o italiano Gabriele Basilico e o chileno Tomás Munita.



"A razão pela qual decidimos fazer a exposição no Texas é que este é o lar do homem que nos levou ao Iraque", disse Goss à Reuters, falando da exposição e fazendo referência ao presidente George W. Bush, que é texano.



"A exposição mostra o que a guerra faz aos países."



A série de fotos em preto e branco de McCullin é do Vietnã. Ela inclui uma foto dilacerante de um soldado norte-vietnamita morto estendido no chão. A seu lado está a foto de uma garotinha, em meio a cartuchos de bala espalhados.



Em outra, um soldado norte-americano se ajoelha ao ar livre para fazer sua confissão a um padre sentado sobre sacos de areia.



Os trabalhos de Basilico, também em preto e branco, incluem cinco imagens sombrias de Beirute em 1991. Edifícios antes belos estão abandonados e decadentes, crivados de buracos de balas e outras cicatrizes da guerra.



As fotos de Tomás Munita sobre o Afeganistão focalizam o cotidiano das pessoas numa zona de conflito.



Em uma delas, uma família sorridente se aquece em volta de uma fogueira ao ar livre, contra um pano de fundo de uma massa de veículos destruídos e enferrujados e um céu cinza-rosado.



O objeto central da exposição é o piano de John Lennon, que fez sua estréia nos EUA no mês passado aparecendo no lugar onde o presidente John Kennedy foi assassinado a tiros, no 43o aniversário de sua morte, em 22 de novembro.



Tanto Lennon quanto Kennedy foram ícones dos anos 1960 que foram assassinados, mas fora isso eles tiveram pouco em comum. Lennon foi assassinado diante do prédio em que vivia em Nova York, em 8 de dezembro de 1980.



A exposição ficará aberta até 13 de janeiro.



adblock ativo

Publicações relacionadas