adblock ativo

Simone Sampaio lança novo projeto nesta sexta

Publicado segunda-feira, 09 de janeiro de 2012 às 08:36 h | Atualizado em 09/01/2012, 08:47 | Autor: Chico Castro Jr.
adblock ativo

Que menina nunca sonhou na frente do espelho, escova de cabelo em punho como um microfone, se achando a própria Madonna? Pois a cantora baiana Simone Sampaio levou seu sonho adiante. Com seu talento, seduziu parceiros de primeira categoria e, nesta sexta-feira, mostra tudo o que sabe em um show superproduzido na badalada boate San Sebastian.

Dirigida no palco pelo prestigiado Vavá Botelho (diretor do Balé Folclórico da Bahia), Simone fará um show digno das divas da dance music, com direito a trocas de figurino, bailarinos, coreografia, VJ e iluminação especial. “É um show com roteiro”, avisa a cantora.

Sob os holofotes, Simone cantará músicas próprias, como Revanche, Glam e covers, como September e Let’s Groove (ambas do Earth Wind & Fire) e Kung Fu Fighting (Carl Douglas).

“Faremos uma incursão pela disco com uma roupagem moderna, mas sem tirar a alma das músicas. O groove é de baixo elétrico mesmo”, afirma. O show é o mesmo que ela apresentou em setembro último na casa Garden Night Club, em São Paulo – e que já lhe rendeu convite para cantar em outras praias: “A recepção foi tão boa que recebi um convite para fazer show em Miami. Só falta acertar a data”, conta.

Em paralelo, Simone e seu marido e empresário, Ricardo Bonelli, preparam um novo álbum com músicas inéditas, produzido pelos requisitados andré t. e Jô Estrada.
“Simone canta pra cacete, ela é real mesmo, ousada. Tem presença de palco e sabe relaxar na mão do produtor”, elogia André. “A intenção é fazer uma parada que soe como disco gringo, pra pista mesmo, que neguinho ouça e não diga que é  dance dos pobres”, afirma.

“Muita gente tacha  dance music como uma coisa descartável – até porque existe mesmo esse segmento sem consistência. Mas, ao mesmo tempo, você tem Madonna, Chemical Brothers, Kraftwerk. Estamos trazendo essas referências para o som dela”, acrescenta Jô.

Glamour no cabide - Natural de Feira de Santana, Simone não nasceu ontem nem foi fabricada para ser o “hit do verão baiano”. “Eu estudei no Colégio Santo Antônio em Feira, que era uma escola que prezava muito a formação artística”, conta. Aos 17 anos, ela começou na vida artística cantando na noite, nos bares locais. “Eu ia com minha mãe, né? De menor era proibido”, ri.

Após uma temporada morando na Espanha, Simone voltou em 1998 e começou a cantar em trio elétrico, sempre com a veia pop/dance em mente. “Eu cantava Spice Girls na Micareta de Feira”, conta, bem-humorada.

Logo Feira ficou pequena para ela. Em Salvador, fez temporada de um ano no Café Quereres, no Pelourinho. “Foi uma época ótima. Lá conheci Vavá Botelho e Daniela Mercury”, lembra.

Em 2004, criou o primeiro bloco de Carnaval dedicado à dance music, o Bloco Dance. “Botamos três mil na avenida, foi mesmo um feito”, relata.
“Mas aí a coisa começou a dar mais dor de cabeça do que prazer, o Carnaval mudou e também esse não é meu objetivo de carreira. Meu negócio mesmo é casa noturna”, demarca.

De lá para cá, Simone participou da trilha sonora da bem-sucedida peça Vixe Maria Deus & O Diabo na Bahia, de Fernando Guerreiro, e do filme O Jardim das Folhas Sagradas, de Pola Ribeiro. “Fiquei felicíssima com esses convites”, diz.

Fora dos palcos e estúdios, Simone põe o glamour no cabide e veste calça jeans e camiseta para ir à padaria. “Hoje em dia, sou mais de ir ao cinema no circuito de arte do que de cair na night”, confessa, simpática, pés bem ficados no chão.

| Serviço |

Simone Sampaio: Jungle Fever
Local: San Sebastian (Rua da Paciência, 88, Rio Vermelho)
Data: sexta- feira, dia 13, 23h30
Ingressos: R$ 25

adblock ativo

Publicações relacionadas