E Neto fecha o ano liderando as pesquisas, mas o jogo está aberto

Publicado terça-feira, 30 de novembro de 2021 às 06:04 h | Atualizado em 29/11/2021, 22:06 | Autor: [email protected]

ACM Neto fechou 2020 com um cenário inteiramente sorridente. Ele venceu em Salvador com Bruno Reis (DEM), Feira de Santana com Colbert Martins (MDB) e Vitória da Conquista com Herzem Gusmão (MDB). Agora, briga para fechar 2021 na dianteira marcando para quinta próxima a festa de lançamento da pré-candidatura.

Todas as pesquisas até agora realizadas, a última delas ontem, a RealTime Big Data/Record, deram ele na liderança, a mais recente com 43% das intenções contra 30 de Jaques Wagner e 9 de João Roma. Posto está que ele é candidato competitivo, faltam os ajustes, especialmente os federais que influenciam cá.

Federalização — É um desafio e tanto. Neto já tem como adversário clássico o PT, com Jaques Wagner puxado por Lula e Rui Costa e vê, no seu terreiro, o barco entrar água com João Roma, hoje ministro, ex-amigo agora virtual adversário. Mais: a provável filiação de Bolsonaro ao PL o que vai significar mais perdas de aliados.

O partido, que rompeu com Rui Costa para segui-lo, segue o líder. De quebra tem também o PDT que também rompeu com Rui para apoiá-lo na expectativa de ver o retorno para Ciro Gomes agora. Está difícil.

Seja como for, é nesse cenário que Neto vai encarar as turbulências de 2022. Aliados dele dizem que ele já está acostumado a caminhar só. Assim venceu em 2012 e se reelegeu em 2016. E com certeza ano que vem sairá maior do que ficou em 2018.

Vitória de Doria nas prévias deixa tucanos baianos quietos

Os tucanos baianos em peso apoiaram Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, nas prévias contra João Doria, governador paulista. Perderam. E agora, como ficam? Com a palavra o deputado estadual Paulo Câmara:

— Vai depender de Doria ter capacidade de reorganizar o partido.

Eduardo Leite, o que perdeu, era uma das esperanças do tucanato baiano, que cogitava inclusive a possibilidade dele embalar e tornar-se uma alternativa para ACM Neto.

O cenário delineado com Doria à frente não é bom. O governador paulista tem fama de prepotente, arrogante e de quebra ainda enfrenta pesadas reações internas puxadas por Aécio Neves, agora deputado.

O desafio dele, para conseguir a pacificação almejada, seria tornar-se uma candidatura empolgante e chegar lá para março ou abril com pelo menos dois dígitos nas pesquisas. É difícil.

Ricardo David, o inesquecível

A queda do Vitória para a terceira divisão se deu fora de campo, brada a torcida nas redes. Em cinco anos, o clube teve cinco presidentes e segundo a torcida rubro-negra nessa lista o nome para nunca ser esquecido é o de Ricardo David: pegou o clube numa situação difícil, deixou pior e só largou em março, quando já não havia tempo para mais nada.

Franciel Cruz, jornalista e torcedor apaixonado, foi ao Barradão com imensa faixa: ‘Vim porque sou descarado’.

Eis que no Novembro Negro Mandela ficou esquecido

Gilmar Santos, leitor, morador da Rua Lima e Silva, na Liberdade, expõe uma ironia: novembro, o mês da Consciência Negra está fechando, e a estátua de Nelson Mandela inaugurada em 1991, está abandonada.

Fomos lá ver e confere. É um pouco pior do que abandonada. Virou quintal de uma das barracas que ocupam a Praça Nelson Mandela, inaugurada na visita dele à Bahia em frente ao plano inclinado Liberdade.

O trato no entorno é nenhum. O cercadinho até está bom, mas o trato é zero, com o lixo, plásticos velhos e folhas secas adornando o entorno.

Gilmar conta que o local é muito movimentado, o plano inclinado faz até fila. “Todo mundo vê e critica, mas não resolve’.

REGISTROS

Dezembro laranja 1

Começa amanhã, pelo oitavo ano consecutivo, o Dezembro Laranja, promovido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) para prevenção do câncer de pele. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é que tenhamos, entre 2020 e 2022, mais de 185 mil casos de câncer de pele melanoma e não-melanoma no Brasil, mais de 8 mil na Bahia, e 800 em Salvador.

Dezembro Laranja 2

Para a dermatologista Ana Lísia Giudice, presidente da SBD-Ba, a campanha é essencial, pois informa a população sobre as principais formas de prevenção. Segundo ela, descoberto cedo, as chances de cura são de 90%.

Final infeliz

A final da Libertadores sábado que sagrou o Palmeiras campeão ante o Flamengo acabou em briga generalizada num bar em Barra. A questão: no interior baiano a torcida do Flamengo é tão forte quanto no Rio. Mas briga só lá. O resto foi tristeza.

Efeito Isaquias

15 atletas de Ubaitaba, terra de Isaquias Queiroz, e 18 da vizinha Maraú, estarão do Campeonato Brasileiro de Canoagem, em Cascavel, Paraná. É o efeito Isaquias.

Publicações relacionadas