Salvador corre de Amaralina ao Bonfim

Publicado quarta-feira, 23 de dezembro de 2020 às 06:03 h | Atualizado em 22/12/2020, 23:58 | Autor: Miriam Hermes e Redação | [email protected]

As atividades desportivas ao ar livre estão liberadas, mas por isso mesmo exigem mais cuidados dos praticantes, pois o coronavírus é transmitido em gotículas pelo ar, mesmo a distancia.

Para os atletas, é preciso prudência na realização do movimento Salvador Que Corre, programado para o próximo domingo, dia 27, em treinamento especial de final de ano, com largada às 5h30min, de Amaralina, e chegada prevista para a Colina Sagrada, no Bonfim.

O percurso de 18 quilômetros passa por inúmeros bairros, dentre os quais o Rio Vermelho, Ondina, Barra, Corredor da Vitória, Avenida Contorno, Mercado Modelo, Terminal Náutico, Feira de São Joaquim e Igreja do Bonfim.

Fundado em fevereiro de 2018, o projeto prevê a união de estratégias de socialização com a qualidade de vida da população: este ano, com a pandemia, a corrida pode servir, como prática coletiva de exercício ao ar livre para reduzir o estresse, mas com cuidados.

Motivação – Para Alan Nunes, idealizador do projeto esportivo, o atletismo nacional tem evoluído em termos quantitativos e qualitativos servindo de motivador para colocar em prática uma política desportiva de incentivo.

Os grupos são distribuídos em iniciação ao esporte, praticantes intermediários e atletas avançados, como forma de exigir de cada praticante apenas o que seja possível de suas capacidades atléticas, sem exagerar.

Este treino de final de ano do Movimento Salvador que Corre conta com distribuição de água mineral, frutas para depois da atividade, além de camisas identificando os corredores.

“Já determinei às

nossas forças policiais

o máximo rigor para

impedir a realização

de festas e shows na

capital e no interior.

Juntos, vamos vencer

esta guerra [contra

a Covid-19]!”

Rui Costa, governador da Bahia, ontem, em vídeo divulgado nas redes sociais do Governo do Estado e nas suas pessoais, anunciando medidas para a contenção da doença durante os festejos de fim de ano

Preço da Hora Bahia

Evitar filas e aglomerações ganhou mais importância, como forma de evitar a disseminação do coronavírus, por meio da pesquisa de preços antes de comprar presentes, pela utilização do aplicativo Preço da Hora Bahia. Antes de sair de casa, o consumidor pode dirigir-se diretamente à loja onde encontra o produto desejado pelo menor preço e pode até conseguir a entrega, pagando no endereço combinado ao receber a mercadoria. O aplicativo conta com 373 mil usuários em todo o Estado, cadastrados a partir de informações de mais de 3,2 milhões de notas fiscais eletrônicas processadas diariamente pela Sefaz-Bahia. São mais de 500 mil produtos disponíveis para busca, facilitando também o controle de preços no mercado, em razão do incentivo à competição por parte dos vendedores online.

POUCAS & BOAS

O prefeito reeleito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho, alertou a população sobre a gravidade no aumento de casos confirmados de Covid-19 na cidade, comprometendo a oferta de vagas de leitos hospitalares nas redes pública e privada do município, com possibilidade de chegar ao colapso. As informações foram repassadas durante coletiva de imprensa em formato remoto, ontem pela manhã, com a participação da coordenadora do Comitê de Combate ao Coronavirus, médica e infectologista Melissa Falcão. Ela declarou que com mais de 3.400 casos confirmados nas três primeiras semanas de dezembro, “chegamos ao nosso pior momento”. A médica conclamou a população a seguir as regras dos cuidados sanitários e de distanciamento social, considerando que o Hospital de Campanha estava ontem com 100% dos leitos de UTI ocupados, que o município tem quase 19 mil casos confirmados e mais de 300 óbitos.

O Programa para o Desenvolvimento da Agropecuária (Prodeagro) anunciou um investimento recorde para financiar projetos no Oeste da Bahia. Em 2021 serão destinados R$ 25 milhões no total, o maior valor já destinado aos projetos desenvolvidos na região para fortalecer o setor produtivo em sete anos de atividades do programa. Das instituições de classe que atuam na região do cerrado, apenas a Aiba apresentou projetos, por isso vai gerir toda a verba a ser aplicada na execução de sete projetos voltados para as áreas ambiental, de infraestrutura, fitossanitária, segurança e estudo do potencial hídrico da região.

Publicações relacionadas