Prates avalia risco do Bahia ficar fora do G-4: "Temos que fazer nossa parte"

Publicado quarta-feira, 17 de março de 2021 às 22:07 h | Atualizado em 19/11/2021, 11:58 | Autor: Alex Torres

O empate sem gols com o Vitória nesta quarta-feira, 17, definitivamente não foi um bom resultado para o Bahia na classificação do Baianão. Com apenas um triunfo em cinco jogos, o time amarga a 7ª posição na tabela do certame, com possibilidade de se distanciar a cinco pontos do G-4, caso Vitória da Conquista e Bahia de Feira vençam Juazeirense e Doce Mel, pelo fechamento da rodada.

>> Veja tabela de classificação e jogos do Baianão

>>Pelo Baianão, Ba-Vi movimentado termina empatado sem gols em Pituaçu

Em coletiva após a partida, o treinador Cláudio Prates foi bastante enfático em dizer que “não existe o Bahia pensar em estar fora do G-4”. Restando quatro jogos para o fim da primeira fase, o comandante disse que não adianta ficar lamentando pelas rodadas que passaram, e sim, focar nos confrontos que restam para o time fazer sua parte.

“Não existe o Bahia pensar em estar fora do G-4. É circunstancial. Não temos que pensar no que está agora, mas nos quatro jogos que faltam. Pelo que fizemos hoje, nos deixa otimista. Temos confrontos diretos. Teremos que fazer a nossa parte. Saímos muito satisfeitos. Rodrigo (Chagas, técnico do Vitória) tem muito tempo com esses meninos, o jogo foi bacana, de intensidade, os dois tentaram propor o jogo. Volto a lamentar as chances claras que tivemos. A atitude e o comportamento dos atletas me deixam animado”, pontuou.

Na avaliação do comandante, o Bahia merecia ter saído de campo com um resultado melhor. Segundo ele, o elenco rubro-negro vinha mais motivado para a partida. Mesmo assim, o Tricolor conseguiu equilibrar as ações, bater de frente e, por pouco, não levou os três pontos para casa, em chance construída pelos pés do atacante Gustavo.

“Encontramos uma equipe fortalecida, confiante, que vinha com o triunfo do último clássico. Jogamos de igual para igual [...] Difícil falar em justiça no futebol, pela imprevisibilidade do jogo. Claro que fico chateado. Além de vencer o clássico, poderíamos melhorar na classificação. O Bahia não pode pensar em estar na classificação em que está. Fico chateado por isso. Tivemos oportunidades claras, poderíamos converter, sair com o triunfo e os pontos que nos deixariam em colocação melhor. Mas nada a reclamar. Os meninos se entregaram”, garantiu Claudinho Prates.

Por fim, Prates comentou sobre um dos destaques positivos da partida. Contratado para compor o grupo principal do Esquadrão, o volante Pablo Roberto não atuava desde janeiro e fez sua estreia no clube pelo plantel de transição, com o intuito de ganhar ritmo. O desempenho, inclusive, foi bastante elogiado pelo treinador.

“Não gosto de falar individualmente, mas se destacou no momento que a gente esperava que tivesse decréscimo pelo tempo de inatividade, por estar se ambientando ao grupo. Mostrou muita vontade. Achei que, no primeiro tempo, foi participativo na fase defensiva e, no segundo tempo, mostrou por que veio. Deu passe, participou de ações ofensivas. Fez uma estreia muito boa. Vai nos ajudar”, encerrou Prates.

Publicações relacionadas