Editorial - O valor da liberdade

Publicado segunda-feira, 18 de julho de 2022 às 05:00 h | Atualizado em 17/07/2022, 20:10 | Autor: Da Redação
Não há mais espaço para absolutismos nem reinações destoantes dos métodos científicos
Não há mais espaço para absolutismos nem reinações destoantes dos métodos científicos -

A história da Imprensa em todas as civilizações nas quais a humanidade aprendeu a se guiar pelo resultado do confronto de versões, quando não há oportunidade de uma verdade irrefutável, é também uma trajetória de coragem e resistência a perseguições e calúnias.

Seria proposição válida acrescentar a esta longa coletânea de séculos a iniciativa do partido União Brasil, na vã tentativa de impedir veiculação de dados relacionados à pesquisa de opinião de eleitores publicada na edição de ontem de A TARDE.

Em vez do litígio e da busca por meios de impor uma mordaça ao veículo mais longevo do Estado e um dos decanos do país, poderiam os políticos desta agremiação - sobretudo aqueles que parecem ainda ter resquícios da época da ditadura e da prática da malvadeza no seu DNA - derramarem-se em elogios, bastando para isso sentirem-se agraciados com números animadores.

No entanto, como o compromisso deste jornal é, em ordem de prioridade, com a comunidade à qual pertence, não seriam capazes os editores de produzir falsidades apenas para agradar este ou aquele grupo, esta ou aquela figura pública, em declínio ou não.

Causa curiosidade aos democratas o lamurismo – hábito de lamentar-se –, uma vez tomar a censura prévia proposta o contorno de atentado contra a liberdade de expressão representada nos gráficos expostos no alentado trabalho de sondagem.

A importância de evitar dobrar-se diante de ameaças descabidas está relacionada ao direito de os baianos conhecerem a tendência atual, exibida na forte possibilidade de nova virada histórica, como já ocorrera em eleições anteriores, portanto, algo factível.

Antes de refletirem melhor e mudarem de ideia os críticos, retornando da manobra de intimidar ou desqualificar a contagem, é preciso firmar posição contrária a qualquer reação desalinhada com valores edificados desde a Revolução Francesa em 1789.

Não há mais espaço para absolutismos nem reinações destoantes dos métodos científicos consagrados pelos estatísticos, em apoio à plena mobilização de recursos das sociedades desenvolvidas a ponto de prezar o voto secreto, direto e eletrônico.

Publicações relacionadas