Zé Ronaldo mantém expectativas de ser vice na chapa de Neto

Ex-prefeito de Feira disse ainda que não vê problema em apoio a diferentes candidatos à presidência

Publicado quinta-feira, 17 de março de 2022 às 14:49 h | Atualizado em 17/03/2022, 14:49 | Autor: Daniel Brito e Lucas Franco
José Ronaldo e ACM Neto
José Ronaldo e ACM Neto -

Ex-prefeito de Feira de Santana e candidato ao governo da Bahia nas eleições de 2018, José Ronaldo falou nesta quinta-feira, 17, em entrevista ao Portal A TARDE, sobre suas expectativas para o processo eleitoral deste ano.

Elogiado por ACM Neto durante a coletiva que selou o apoio de João Leão (PP) ao grupo político, Ronaldo foi perguntado pela reportagem sobre o fato de existem diversas possibilidades de candidaturas à vice-governador na chapa, inclusive a sua, além de sua participação em um eventual futuro governo. O ex-prefeito de Feira, no entanto, pregou cautela, apesar de manter as expectativas em integrar a candidatura.

"Estou dentro desse processo desde os primeiros segundos, viajando junto, trabalhando juntos, seguiremos juntos, fazendo esse processo político. Acho que, como ele disse, a gente tem que ter calma, paciência. Política se faz com diálogo, com respeito ao próximo, e fazendo a boa conversa. Um respeitando e buscando realmente apoios", disse.

Ronaldo disse que nunca escondeu que deseja ser senador ou vice-governador. "Sempre coloquei essas duas posições que gostaria de disputar. Estou mantendo isso. Meu ponto de vista mantendo essa defesa que venho fazendo há algum tempo, busco isso e vou continuar buscando", afirmou.

"Esse processo é liderado por ACM Neto, ele é quem conduz, tem capacidade para conduzir, somar e multiplicar. Espero que ele consiga o apoio de todos esses partidos, que consiga formar a maior chapa possível, para que todos nós estejamos juntos no futuro fazendo e contribuindo no governo", completou.

Questionado sobre João Leão e outros integrantes da sua base de apoio apoiarem diferentes candidatos à presidência da República, Ronaldo acredita que isso não atrapalha as pretensões do grupo político e visualiza "muita capacidade de aglutinar, de somar".

"Se você essa capacidade, é porque as pessoas acreditam, né? Então, se você tem o apoio de um partido que apoia Ciro Gomes, de um partido que apoia Moro, Simone Tebet, pessoas que apoiam o ex-presidente Lula, que apoiam candidatos a deputado que apoiam Bolsonaro, tem que respeitar a vontade delas. Essas pessoas têm a liberdade de escolher o candidato a presidente, seja lá quem for", pontuou.

Publicações relacionadas