Luta contra Covid-19 e desastres ambientais marcaram Bahia em 2022 | A TARDE
Atarde > Retrospectiva

Luta contra Covid-19 e desastres ambientais marcaram Bahia em 2022

Ano também contou com o retorno à vida normal após longas restrições na pandemia

Publicado terça-feira, 27 de dezembro de 2022 às 18:43 h | Atualizado em 27/12/2022, 19:00 | Autor: Daniel Genonadio, Fernando Valverde e Rodrigo Tardio
Ano já começou com reconstrução após enchentes de dezembro
Ano já começou com reconstrução após enchentes de dezembro -

Após dois anos de pandemia, marcada pelas restrições sanitárias e os cancelamentos de eventos que movimentam a vida e a economia da Bahia, 2022 foi marcado pelo ano em que a população baiana deu seu primeiro passo de retorno à "normalidade" após enfrentar o Covid-19. A desobrigação do uso de máscaras, do distanciamento social e a volta do São João no estado, foram pontos centrais do ano vivido pelos baianos e que foram contados com todos os detalhes pelo Portal A TARDE.

Nesta série de reportagens, convidamos o leitor a relembrar conosco o que foi importante em diversos âmbitos, da cultura ao esporte, da política ao mundo dos famosos, neste ano.

Confira o que ocorreu de mais importante na Bahia em 2022:

Janeiro

O ano já começou com um grande desafio, após um dezembro em que os baianos sofreram com chuva e enchentes na pior escala das últimas quatro décadas. Segundo dados da Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), ao todo, foram 30.306 desabrigados, 62.156 desalojados, 27 mortos e 523 feridos, além de 190 municípios em estado de emergência. Com isso, o mês de janeiro na Bahia foi focado na reconstrução das cidades afetadas, em custos que foram estimados em R$ 1,5 bilhão. A situação de maior urgência foi registrada na região do extremo sul baiano, que ganhou projeção nacional diante dos danos.

População ficou desalojada e sofreu com impactos das chuvas
População ficou desalojada e sofreu com impactos das chuvas |  Foto: Camila Souza | GOVBA
 

Fevereiro

Após um início de ano marcado pela explosão de casos de Covid-19, que resultou na manutenção do cancelamento das tradicionais festas de verão, o mês de fevereiro foi marcado pelo pico do cenário epidemiológico. Na ocasião, a Bahia (assim como todo o Brasil) sofreu com os efeitos da variante ômicron, que chegou a ser responsável por 93% dos casos de covid-19 no estado. O estado ainda contava com um dado preocupante, já que mais de 1,3 milhão de pessoas sequer haviam tomado a primeira dose da vacina, enquanto 4,2 milhões de baianos estavam com o esquema vacina incompleto. 

Imagem ilustrativa da imagem Luta contra Covid-19 e desastres ambientais marcaram Bahia em 2022
 

Março

Aos poucos, após meses ruins, o cenário da Covid-19 entrou em queda e a Bahia começou o processo de retorno à vida normal em março, quando atingiu o menor número de casos da doença desde o dia 6 de janeiro. Com isso, no dia 19 de março, o governo estadual autorizou a realização de eventos sem limite de público em todo o território baiano, ou seja, de casamentos, a jogos de futebol ou grandes eventos musicais. Na ocasião, também ficaram permitidas ainda as atividades 100% presenciais em escolas, faculdades e universidades públicas e privadas, o que levou os estudantes de volta para as salas de aula. 

Abril

A vida dos baianos seguiu com a normalidade dos anos pré-pandemia e agora de volta às salas de aula de maneira integral, os professores da rede estadual de ensino conseguiram uma grande vitória em abril, quando tiveram um reajuste salarial aprovado pela Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A proposta do governador Rui Costa (PT) produziu um acréscimo na despesa de pessoal, para o exercício de 2022, no valor estimado de R$119.978.154,89 (cento e dezenove milhões, novecentos e setenta e oito mil, cento e cinquenta e quatro reais e oitenta e nove centavos) e, para os anos de 2023 e 2024, R$143.973.785,87 (cento e quarenta e três milhões, novecentos e setenta e três mil, setecentos e oitenta e cinco reais e oitenta e sete centavos). 

A velha companheira de todo baiano nos últimos dois anos, a máscara cirúrgica, item essencial para o cumprimento dos protocolos de combate à Covid-19, pode ser deixada de lado com a portaria que desobrigou o uso da mesma em locais públicos no estado. A medida foi tomada pelo governador Rui Costa (PT), após o estado atingir patamar inferior aos 1000 casos ativos de Covid-19.

Maio

Os altos índices de violência seguiram acompanhando o estado em 2022, mas alguns casos se destacaram no mês de maio, quando o policial militar Alexandre Menezes foi morto com um tiro de fuzil após ser atingido na cabeça durante uma troca de tiros com homens armados no bairro de Águas Claras, em Salvador. No dia seguinte, mais dois policiais militares foram mortos após retornarem do enterro do colega. Os PMs mortos foram identificados como Shanderson Lopes Ferreira e Victor Vieira Ferreira Cruz.

As mortes geraram represálias e em uma operação pouco depois, três suspeitos de participarem das mortes de policiais militares foram mortos. Outros suspeitos também ficaram feridos e seus estados de saúde ou possíveis prisões não foram mais divulgados. 

Junho

Já em junho, após dois anos de cancelamentos por causa da pandemia, os baianos puderam voltar a curtir as festas juninas em todo o estado. Em Salvador, uma grande festa de seis dias para comemoração de São João e São Pedro foi organizada no Parque de Exposições, que recebeu grandes nomes do ritmo para shows gratuitos. Entre as atrações estão nomes históricos da música brasileira como Fagner, Amado Batista, Dorgival Dantas, Adelmário Coelho e Elba Ramalho. Também tem grandes sucessos, como Jorge e Mateus, João Gomes, Zé Felipe, Wesley Safadão, Simone e Simaria, entre outros. Teve até dia com mais 100 mil pessoas presentes. 

A capital baiana também contou com eventos no Centro Histórico e bairros da Suburbana. As festas também voltaram com tudo no interior do estado, onde os destinos mais procurados foram Cachoeira, Castro Alves, Conceição do Almeida, Cruz das Almas, Muritiba, Santo Amaro, Santo Antônio de Jesus, São Felipe e São Felix.

Festa do São João da Bahia no Parque de Exposições, em Salvador
Festa do São João da Bahia no Parque de Exposições, em Salvador |  Foto: Uendel Galter | Ag. A TARDE
 

Julho

O temor de uma nova pandemia, após os primeiros passos rumo à normalidade no pós Covid-19, apareceu com a confirmação do primeiro caso da Varíola dos Macacos no estado, em Salvador. Até o momento, 144 casos foram confirmados pela Secretaria de Saúde (Sesab), mas nenhum óbito foi registrado. 

A capital também iniciou o debate sobre uma possível mudança do circuito do Carnaval para a região da Boca do Rio, o que desagradou moradores. A TARDE também esteve presente para averiguar e questionar o poder público sobre obras atrasadas e prestou a solidariedade pela perda do escultor Tatti Moreno, ícone da arte no estado.

Agosto

O segundo semestre de 2022 foi de grandes movimentações na Bahia. A capital, Salvador, passou por inovações tecnológicas, com a chegada do 5G, e a já mencionada proposta de mudança do Carnaval da cidade foi apresentada oficialmente. 

Vista como um dos investimentos mais importantes para a economia e produtividade do estado, a ponte Salvador-Itaparica caminha para a sua implementação e teve solicitação de estudo técnico requerida pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), o que foi autorizado pelo governador Rui Costa em setembro e ainda não foi finalizado. Manchas de óleo voltaram a aparecer no litoral do estado, algo recorrente desde 2019, e ameaçaram o equílibrio ecológico dos nossos mares e rios.

O mês também foi marcado por comoção e tristeza com a morte da menina Cristal Pacheco, assassinada durante uma abordagem na região do Campo Grande, em Salvador. O caso ganhou grande repercussão, com diversas manifestações de amigos e familiares da vítima, e deixou em luto a capital baiana. As suspeitas do crime estão presas.

Familiares e amigos de Cristal protestaram após a morte da adolescente
Familiares e amigos de Cristal protestaram após a morte da adolescente |  Foto: Rafaela Araújo | Ag. A TARDE
  

Setembro

Em setembro, um triste capítulo de violência foi escrito em Barreiras, Extremo Oeste da Bahia, quando um jovem de 14 anos, armado com um revólver e armas brancas, invadiu uma escola e disparou contra estudantes do local. Jeane de Brito, de 20 anos, foi a óbito. O caso repercutiu na comunidade escolar de todo o estado, principalmente após ameaças de ataques começarem a ser vinculadas na internet e nas instituições de ensino.

No lado positivo, a educação do estado atingiu o seu melhor índice histórico no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). As gestões de Jaques Wagner e Rui Costa elevaram, na média, em 102% o valor para o Ensino Fundamental II e em 30% para o Ensino Médio.

Na capital baiana, o sistema BRT (Bus Rapid Transit) teve suas operações iniciadas com a inauguração do trecho de 4.4 km que liga a Pituba às proximidades do Shopping da Bahia.

Crime aconteceu na na Escola Municipal Eurides Sant'Anna
Crime aconteceu na na Escola Municipal Eurides Sant'Anna |  Foto: Divulgação | Prefeitura de Barreiras
 

Outubro

O mês de outubro foi marcado pelo primeiro turno das eleições estaduais, que movimentaram a política da capital e do interior com os candidatos percorrendo o estado para angariar votos. Uma das polêmicas do pleitou que consagrou as vitórias de Jerônimo Rodrigues (PT) no estado e de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Brasil, foram as operações feitas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), supostamente com a intenção de impedir que votantes do nordeste comparecessem às suas seções. Na Bahia, foram registrados pontos em Ubaitaba, no sul do estado, e integrantes de comunidades indígenas da região de Prado, alegam terem sido impedidos de votar.

A TARDE cumpriu seu papel de cobrar a admnistração pública ao veicular matérias que questionavam as obras no Subúrbio, com a polêmica requalificação da Bacia do Mané Dendê, o impacto de revitalizações nas praias da capital baiana e as questões das multas na cidade

Outras questões, como o acompanhamento de um projeto que promove acolhimento e segurança a profissionais do sexo, o fechamento do tradicional colégio Mercês e até mesmo um "pega pra capar" entre duas bandas que viralizou nas redes sociais, ganharam as páginas de A TARDE.

Novembro

O mês de novembro, que levou a nossa eterna Gal Costa, também foi marcado por diversas movimentações. Após as eleições de outubro, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL), derrotado no pleito, fecharam trechos das principais rodovias do estado para protestar contra o resultado.

Importantes investimentos para o estado foram assinados, como o contrato para a instalação de três fábricas da BYD, fabricante de carros elétricos, que pode assumir o complexo da Ford, fechado em janeiro de 2021, e a ciência baiana viajou o mundo com a apresentação da pesquisadora de Ilhéus, Jade Lôbo, na universidade de Havard (EUA), uma das mais prestigiadas do mundo.

E em meio ao aumento dos casos de Covid-19 no estado, muito por conta do número ainda expressivo de não-vacinados em todo o território baiano, o governador Rui Costa (PT) decretou o retorno da obrigatoriedade do uso de máscaras em alguns ambientes. A medida é válida em transportes públicos, salões de belezas, bares e restaurantes, escolas e universidades e ambientes fechados como teatros, cinemas, museus e semelhantes.

Uso de máscaras voltou a ser obrigatório em alguns lugares do estado
Uso de máscaras voltou a ser obrigatório em alguns lugares do estado |  Foto: Felipe Iruatã | Ag. A TARDE
 

Dezembro

Quase repetindo o fato do final de 2021, o mês de dezembro de 2022, começou com um grande número de pessoas atingidas pelas enchentes que causaram transtornos em 51 municípios baianos. Pelo menos 65.521 pessoas foram afetadas, de acordo com dados divulgados pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec) na primeira quinzena do mês. Entre as cidades afetadas, 16 estiveram com decreto de situação de emergência.

Na segunda quinzena, o fato se repetiu com novos pontos de enchentes e alagamentos registrados em todo o estado. Até o momento, 2.439 estão desabrigados, 25.157 desalojados e 219.389 outros afetados em decorrência dos efeitos diretos das chuvas. O número total de atingidos chega a 246.995 pessoas.

Decretos foram publicados para ajudar a população das localidades e o governador eleito, Jerônimo Rodrigues (PT), montou um comitê de crise para acompanhamento da situação, além de visitar parte dos municípios atingidos.

Enchente de rios provocou transtornos em cidades do interior baiano
Enchente de rios provocou transtornos em cidades do interior baiano |  Foto: Divulgação | Prefeitura de Itabuna
 

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS